Mais veloz, mais precisa: como a inteligência artificial poderá impactar medicina diagnóstica